Principais características

Defino o tênis de mesa como um esporte de estratégia, onde cada jogador terá seus atributos e deverão utilizá-los da melhor forma possível, relacionados por um conjunto de fatores que devem ser trabalhos juntos e analisados cuidadosamente para que as escolhas dos fundamentos possam ter resultado favorável no jogo. Uma atividade neuro-motora que exige muita precisão, velocidade, coordenação motora e domínio emocional, na qual é necessário um programa de treinamento rigoroso e específico para a “otimização” do atleta.

“Trata-se de uma atividade multicoordenada que ocorre em um contexto altamente variado. Além disso, ela é regulada por rígidos limites de tempo, baixa predição das ações do adversário e alta precisão. Desta forma, pode-se dizer que as tarefas do jogador durante o jogo são complexas e se modificam todo o tempo, fazendo que se crie um alto conteúdo emocional, no qual os atletas devem atuar. Nizetich (2001 apud IIZUKA e NAGAOKA, 2006)”

Caracterizamos o tênis de mesa como uma atividade neuro-motora de alta precisão, com alta complexidade das técnicas de coordenação, na qual o atleta precisa unir velocidade com coordenação, potência com controle do movimento, capacidades de difícil combinação. Um esporte que exige um grande domínio de tempo e espaço, para que a precisão de colocação das bolas na mesa seja realizada com grande eficiência.

Outra característica marcante do tênis de mesa é a grande variação de técnicas, com diversos tipos de movimentos, estilos e efeitos. Destacando também a importância da parte tática ou a estratégia na qual o atleta deve desenvolver, criando um estilo de jogo pessoal, tendo que optar por uma ampla variação das técnicas, nas quais o atleta deverá aperfeiçoá-las para ter um resultado favorável durante o jogo. Por isso existe uma grande variação de estilos no tênis de mesa, devido à grande variação técnica e tática que o esporte possui.

O Tênis de mesa é um esporte que atingi altos níveis de raciocínio lógico, intuitivo e criativo, orienta os alunos em sua organização pessoal e coletiva. Inspira o individualismo necessário para a sobrevivência na sociedade (lutas por emprego, por exemplo), e, sobretudo é trabalhado em um ambiente de equipe e cooperativismo. É dinâmico e satisfaz os anseios dos jovens à procura de desafios constantes (MARTINS, 1999).

Do ponto de vista psicológico, o aluno deve ser capaz de se controlar emocionalmente em momentos de tensão como por exemplo quando está atrás no placar e o adversário o provoca “fazendo cera” ou por meio de expressões faciais ou de gestos (comunicação não-verbal) que podem alterar os processos cognitivos e desviar a atenção e desconcentrá-lo do jogo (VILANI, LIMA, SAMULSKI, 2003).